Anterior

Foco de luz de um objeto não identificado é visto no céu da cidade de Altos

23/11/2020

Anterior

Próxima

PI: Menina descobre gravidez em hospital e avô é suspeito do estupro

25/11/2020

Próxima
23/11/2020 - 23:38
Senador Irajá Filho é acusado de estuprar modelo em flat após balada

A vítima afirmou à polícia que acordou com o investigado em cima dela, a penetrando sem uso de preservativo
 Foto: Divulgação 

Senador Irajá Silvestre Filho é acusado de estuprar modelo após festa

Um boletim de ocorrência por estupro foi registrado na madrugada desta segunda-feira (23) no 14º Distrito Policial de Pinheiros, em São Paulo, contra o senador Irajá Silvestre Filho (PSD-TO). Ele é filho da também senadora Kátia Abreu (PP-TO), que testou positivo para a covid-19

A vítima é uma modelo de 22 anos, que pediu para ter a identidade preservada, e que o conheceu durante um almoço com um grupo de amigas, neste domingo (22), no Jockey Club. Ela diz que o acompanhou à casa noturna Café de La Musique com mais um amigo dele, foi dopada, perdeu a consciência e acordou em um flat, no Itaim Bibi, já sendo abusada por ele.  

No documento consta que a vítima acordou com o investigado em cima ela, a penetrando sem preservativo, e dizendo frases como: “agora, você é minha” e “estou apaixonado”. Ela relatou à polícia que ficou com medo de ele bater nela e, por isso, não resistiu ao abuso, mas pedia insistentemente para ir ao banheiro e tomar água, o que ele não deixava. Quando ela conseguiu ir ao banheiro, após dizer que estava passando mal, se trancou e começou a pedir socorro. 

“Ela mandou mensagem para mim, na madrugada, para a mãe dela, para os amigos. Essa amiga foi até o hotel e mandava mensagem para esse senador e ele falava que estava sozinho no hotel, que ela não estava com ele. Aí, o pessoal da recepção subiu. Ela estava completamente transtornada”, disse um amigo da jovem. Ele contou também que funcionários do hotel foram à delegacia para depor como testemunhas e que a polícia foi até o hotel e não encontrou o senador.

A garota passou a manhã acompanhada do amigo, em um hospital da capital paulista, para realizar exames que comprovem a agressão sexual, além de toxicológicos, e para ser medicada. A polícia já trabalha na busca por imagens de câmeras de segurança da casa noturna e do hotel. O quarto do hotel foi preservado para exame pericial.







Link:




Deixe seu comentário



Vídeo


Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.