Anterior

Número de infectados por covid 19 chega a 76 na cidade de Campo Maior

18/05/2020

Anterior

Próxima

Corpo de um homem é encontrado no povoado Vista Alegre município de Altos

21/05/2020

Próxima
19/05/2020 - 09:25
Secretaria de Saúde de Coivaras, comete erro grave ao divulgar dados da covid 19 no município, causando constrangimento em famílias na cidade

A secretaria de saúde de Coivaras, se precipitou e cometeu um gravissimo erro, pois mesmo não havendo um protocolo geral para a divulgação dos casos da covid 19, o que se sabe é que o teste rápido não comprova a existência do novo coronavírus e sim a existência de anticorpos o que pode indicar que a pessoa tenha tido a doença ou que ainda esteja, o teste rápido funciona como o início de uma investigação para saber se alguém possui ou não a covid 19. Todos os Boletins Epidemiológicos que estão sendo divulgados pelas prefeituras por meio das secretarias de saúde, só informam a existência de um caso quando tem a chamada contraprova ou, seja, o exame do PCR.
 Foto: TV E PORTAL O JORNAL 

Exame do PCR de Josilene Freitas

 

Por meio de uma nota oficial divulgada e assinada pela secretária de saúde da cidade de Coivaras, Edmê Oliveira Gomes Freitas, na data de 12/05/2020, a população de Coivaras é informada que o município havia registrado o segundo caso do novo coronavírus.

A nota ainda diz que tratava de uma pessoa que era natural de Campo Maior e que havia chegado de São Paulo na data de 28/04/2020 ao município de Coivaras, e que a equipe de saúde de Coivaras, entrou em contato com a moça, realizou os procedimentos sanitários e orientou-a ficar de quarentena, conforme a nota a pessoa teria cumprido integralmente a quarentena e que depois se dirigiu a cidade de São João da Fronteira no Piauí.

Após chegar da cidade de São João da Fronteira no Piauí, a pessoa já apresentava sinais sugestivo da covid 19, isso na data de 11/05/2020. A nota diz que na data de 12/05/2020, a pessoa foi submetida a um teste rápido e teria dado positivo para o novo coronavírus.

A secretaria de saúde de Coivaras, se precipitou e cometeu um gravissimo erro, pois mesmo não havendo um protocolo geral para a divulgação dos casos da covid 19, o que se sabe é que o teste rápido não comprova a existência do novo coronavírus e sim a existência de anticorpos o que pode indicar que a pessoa tenha tido a doença ou que ainda esteja, o teste rápido funciona como o início de uma investigação para saber se alguém possui ou não a covid 19.

Todos os Boletins Epidemiológicos que estão sendo divulgados pelas prefeituras por meio das secretarias de saúde, só informam a existência de um caso quando tem a chamada contraprova ou, seja, o exame do PCR.

Divulgar categoricamente que uma pessoa esteja com o novo coronavírus, baseado apenas no teste rápido pode ser uma irresponsabilidade muito grande, pois como se trata de uma doença de alto poder de contágio, as pessoas ficam preocupadas e terminam que o preconceito fica inevitável, principalmente em se tratando de uma cidade do poste de Coivaras, onde as pessoas se conhecem, a situação ainda é mais constrangedora.

A produção da TV e Portal O Jornal, teve acesso ao exame RT-PCR (sigla em inglês para transcrição reversa seguida de reação em cadeia da polimerase). De Josilene Ferreira da Silva, que deu negativo para o novo coronavírus, ou seja o exame não detectou a presença do vírus na pessoa em questão.

A produção não só teve acesso ao exame, RT-PCR que deu negativo para a covid 19, como também conversou com Josilene Ferreira, ela confirmou a versão da nota divulgada pela secretária Edmê, de que quando chegou de São Paulo à Coivaras, cidade que sempre visita, por ter parentes morando, a equipe de saúde os visitou e os orientou a ficar de quarentena, foi feito o teste rápido e deu negativo, confirmou ainda que depois da quarentena foi a cidade de São João da Fronteira, onde moram os parentes de seu namorado.

Na cidade de São João da Fronteira, ela comeu o que para ela seria uma iguaria, por fazer muito tempo que não havia comido, que era quilhada, logo depois começou a se sentir mal, com vômitos e não pôde comer mais nada, ficou se alimentando a base de chá e ainda na cidade de São João, ela procurou o serviço de saúde, chegou a tomar um litro de sono e a equipe médica que o atendeu fez a requisição de exames, mas Josilene, não fez porque era para ser feito no estado do Ceará.

Retornando a Coivaras, Josilene e o namorado foram em busca de remédios homeopáticos na casa de uma senhora na zona rural, não encontrando a mulher e por coincidência apareceu a ambulância da saúde local. Josilene Ferreira, veio na ambulância e aproveitou para ir até a Unidade de Saúde, ao chegar no local, foi recebido pela equipe de plantão.

A partir deste momento, segundo a mulher, foi que começou o problema, após contar o que havia acontecido com ela, e a equipe ter aferido a pressão e também a temperatura, achou por bem realizar um novo teste rápido para a covid 19.

Foi feito um teste e não era possível ver nada diz Josilene, com o resultado ilegível a equipe passou a fica de conversas entre-se os deixando constrangida, Josilene chegou a pedir para que o pessoal da equipe de saúde de Coivaras, dissesse o que estava acontecendo, pois a mais interessado em saber o assunto tratado era ela mesma. Diante da incerteza do primeiro teste rápido, foi feito um segundo teste que também não ficou legível, o problema segundo a vítima é que na hora do preenchimento da ficha colocaram positivo, mesmo sendo ilegível e com a incertezas nos dois testes ráído.

Outro problema é que a equipe do sistema de saúde de Coivaras, nunca se importou de ir pegar o exame do PCR, para a contraprova o exame foi requisitado no dia 12/05/2020, só veio para as minhas mãos hoje dia 18 de maio de 2020, porque tive que ir pegar no laboratório em Teresina.

Estou com o exame em mãos para quem quiser ver, como não foi detectado a presença do novo coronavírus, no meu DNA, enquanto isso, divulgaram até nota oficial, informando esse segundo caso de covid 19 em Coivaras sem terem certeza, afirma Josilene Ferreira da Silva.

De acordo ainda com Josilene Ferreira, além desse constrangimento imposto a ela pela equipe de saúde de Coivaras, o constrangimento ainda foi maior para com a família, o tio dela teve que deixar de trabalhar, mandaram retirar tudo que pertencia a ela na casa do tio, onde ela estava hospedada, enfim transformando a vida dela em um sufoco, ela ainda contou que como se não bastasse os vizinhos estão sofrendo preconceito e devido tudo isso já tem pessoas com início de depressão.

A produção da TV e Portal O Jornal, entrou em contato com a prefeitura da cidade de Coivaras, para ouvir a versão do município, mas não obteve resposta. (A redação)

 



Veja mais fotos:




Link:




Deixe seu comentário



Vídeo


Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.